A Educação no Campo e a sua Realidade: A Esquizofrenia Teórica em Xeque?

Ana Lúcia Eduardo Farah Valente

Resumo


 

Objetiva-se contribuir no debate sobre a educação no campo,procurando recuperar alguns conceitos elaborados na área antropológica, na qual se acumularam conhecimentos sobre a diversidade cultural. Também são destacadas análises produzidas na área educacional, em especial na história da educação, que trazem à luz informações pouco conhecidas, as quais permitem a compreensão de alguns processos em andamento, e compartilham o aporte teórico da perspectiva antropológica adotada. Esse aporte não contrapõe o singular ao universal e sua explicitação, mesmo que sucinta, permite recolocar aquele debate em novo patamar. Documentos oficiais como as Diretrizes Operacionais para a Educação Básica nas Escolas do Campo, do Conselho Nacional de Educação, e outros publicados pelo Ministério da Educação, que reivindicam a especificidade dessa educação voltada para o alunado marcado pela diversidade cultural e que vive no espaço rural, são tomados como ponto de partida para proceder à crítica de certo enfoque sobre a temática. Esse enfoque tem sido caracterizado pelo ecletismo metodológico e pela falta de rigor teórico que se evidencia no emprego incoerente de categorias iluminadas por diferentes opções analíticas, estabelecendo um conflito que não é falso.
Dessa maneira, tem-se perdido de vista o movimento da história. Com base na contribuição oferecida, propõe-se que a educação no campo seja pensada em outros termos.


Palavras-chave


Educação no Campo, Crítica à Razão Dualista, Diversidade Cultural.

Texto completo:

PDF

Referências


ALVES, Gilberto Luiz. A Produção da Escola Pública Contemporânea.

Campo Grande, MS: Editora UFMS; Campinas, SP: Autores Associados,

_________.Universal e singular: em discussão a abordagem científica do

regional. In: ALVES, G. Mato Grosso do Sul: o universal e o singular.

Campo Grande: Editora UNIDERP, 2003. pp.17-29.

_________. Falácias sobre a educação no campo. In: SOUZA, Ana

Aparecida Arguelho de; FRIAS, Regina Barreto (Orgs.) O processo

educativo na atualidade. Fundamentos teóricos. Campo Grande: Editora

UNIDERP, 2005a, p.83-97.

_________ Discursos sobre educação no campo: ou de como a teoria pode colocar um pouco de luz num campo muito obscuro. Campo Grande/MS, 2005b (Versão provisória digitada).

BRASIL, Conselho Nacional Educação. Diretrizes Operacionais para a

Educação Básica nas Escolas do Campo; Resolução CNE/CEB no. 1, de 3 de abril de 2002. Diário Oficial 2002. Brasília, 9 de abril de 2002. Seção 1, p. 32.

BRASIL, Ministério da Educação. Educação do Campo. Disponível em:

. Acesso em 28/03/2006.

BRASIL, Ministério da Educação. Elementos para um plano nacional de

educação do campo. Disponível em: . Acesso em 28/03/2006 b.

COMÉNIO, João Amós. Didáctica Magna: Tratado da Arte Universal

de Ensinar Tudo a Todos. 2.ed. Introdução, tradução e notas de Joaquim

Ferreira Gomes. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 1976.

CASTELLS, Manuel. A Questão Urbana. Rio de Janeiro: Paz e Terra,

GRAMSCI, Antonio. A Questão Meridional. Rio de Janeiro: Paz e Terra,

________ . Concepção Dialética da História. 8a ed. Tradução de Carlos

Nelson Coutinho. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1989.

________. Cadernos do Cárcere, volume 1. 2ª edição, Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2001.

MARTINS, José de Souza. As Coisas no Lugar (Da ambiguidadeà dualidade na reflexão sociológica sobre a relação cidade-campo). In: Martins (Org.) Introdução crítica à Sociologia Rural. 2 ed. São Paulo: Hucitec, 1986.

MARX, K.; ENGELS, F. A ideologia alemã. 5ª ed. São Paulo:Hucitec.1986.

SILVA, José Graziano da. Velhos e novos mitos do rural brasileiro. Revista Estudos Avançados, São Paulo, v.15, n.43, p.37-50, set./dez., 2001.

SINGER, Paul. A Guisa de Introdução: urbanização e classes sociais. In:

SINGER, P. Economia Política da Urbanização. 7 ed. São Paulo: Brasiliense, 1980.

VALENTE, Ana Lúcia E. F. Usos e abusos da Antropologia na pesquisa

educacional. Proposições, Campinas/UNICAMP, 1996.

___________Agricultura familiar e recorte racial: desafio teórico e sóciopolítico no meio rural. Cadernos do CEAM, n.17, UnB, 2005a, p.117-129.

___________Renovação analítica do ‘novo rural’ e o ecletismo

metodológico. In: XXIX Encontro Anual da ANPOCS, 25 a 29 de outubro

de 2005, Caxambu. Anais..., Caxambu, 2005b.

VEIGA, José Eli. Cidades imaginárias. Campinas: Autores associados,




DOI: http://dx.doi.org/10.25059/2527-2594/retratosdeassentamentos/2008.v11i1.24

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2015 Revista Eletrônica Retratos de Assentamentos



Revista Retratos de Assentamentos e-ISSN: 2527-2594 

Rua Carlos Gomes, 1338, Centro / Araraquara-SP / Brasil / CEP 14801-340

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.