Justificações em torno de assentamento periurbano da modalidade projetos de desenvolvimento sustentável no estado de São Paulo: uma justiça ecológica em questão

Paulo Eduardo Moruzzi Marques, Carlos Armenio Khatounian, Luciane Cristina de Gaspari, Morgane Retièr

Resumo


Este artigo apresenta interpretações fundadas sobre a teoria das justificações referentes à implantação do assentamento Milton Santos, inscrito na modalidade Projeto de Desenvolvimento Sustentável proposta pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA). Assim, as características do assentamento são examinadas, em particular no que se refere ao padrão de utilização dos lotes. Ademais, aspectos chaves da teoria das justificações são abordados com vistas à análise dos argumentos formulados pelos assentados para justificar suas ações em termos de engajamento na luta pela terra e de estratégias de residência e trabalho no assentamento. Nesta ótica, a análise focaliza os princípios de justiça mobilizados para a construção dos argumentos em favor do assentamento. Em particular, é discutida a hipótese de emergência de uma ordem de justiça ecológica, tornando-se uma fonte de referências cada vez mais legítima para justificar o engajamento na luta pela terra e a proposta de desenvolvimento de projetos agroecológicos.


Palavras-chave


Reforma Agrária; Assentamento Periurbano; Desenvolvimento Sustentável; Comuna da Terra; Teoria das Justificações

Texto completo:

PDF

Referências


ALBERTI, Verena. Manual de história oral. Rio de Janeiro: FGV Editora, 2006.

ALY JR. Osvaldo. Projetos de Desenvolvimento Sustentável (PDS) e os desafios na construção de novas políticas de assentamento, Retratos de Assentamento, v. 14, nº 2, 2011, pp. 283-303. BERTAUX, Daniel. Les récits de vie. Paris: Nathan, 1997.

BOLTANSKI, Luc. L’amour et la justice comme compétences. Paris: Gallimard, 1990. BOLTANSKI, Luc. De la critique. Paris: Gallimard, 2009.

BOLTANSKI, Luc; DARRÉ, Yann; SCHILTZ, Marie-Ange. La dénonciation. Actes de la Recherche en Sciences Sociales, n. 51, 1984, p. 3-40.

BOLTANSKI, Luc; THEVENOT, Laurent. De la justification. Paris: Gallimard, 1991.

BRASIL, Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Controle social na venda direta ao consumidor de produtos. Brasília: ACS/MAPA, 2008.

BRESSON, Maryse. Sociologie de la précarité. Paris: Armand Colin, 2010. CAZELLA, Ademir; BONNAL, Philippe; MALUF, Renato. Agricultura familiar, multifuncionalidade e desenvolvimento territorial no Brasil. Rio de Janeiro: Mauad X, 2009.

DARROT, Catherine; DURANT, Guy. Référentiel central des circuits courts de proximité: mise en évidence et statut pour l’action. In: TRAVERSAC, Jean-Baptiste. Circuits courts: contribution au développement régional. Dijon: Educagri Éditions, 2010 .

GOLDFARB, Yamila. Do campo à cidade, da cidade ao campo: o projeto comunas da terra e a questão dos sujeitos da reforma agrária. Agrária, São Paulo: FFLCH/USP, n. 5, p. 109-138, 2006.

KHATOUNIAN, Carlos Armênio. A reconstrução ecológica da agricultura. Botucatu: Agroecológica, 2001.

MORUZZI MARQUES, Paulo Eduardo; OLIVEIRA, Leandro J.; NEMOTO, Eliane; ANTIER, Clémentine. Condições de trabalho e planos de reconstrução de vida: o caso do assentamento Milton Santos em Americana/ SP. Simpósio sobre Reforma Agrária e Assentamentos Rurais: Controvérsias e Alternativas de Desenvolvimento, Araraquara: 2010, Uniara. In: Anais..., Simpósio sobre Reforma Agrária e Assentamentos Rurais, 2010.

MORUZZI MARQUES, Paulo Eduardo; LUCAS, Ademir de; GASPARI, Luciane Cristine de. “Desenvolvimento territorial em questão: estudo obre assentamento periurbano no estado de São Paulo. Retratos de Assentamentos, v. 17 n° 01, 2014, pp. 161-178.

RETIERE, Morgane. Agricultores inseridos em circuitos curtos de comercialização: modalidades de venda e adaptações dos sistemas agrícolas. Dissertação de Mestrado do Programa de Pós-Graduação Interunidades (ESALQ-CENA) em Ecologia Aplicada da Universidade de São Paulo, Piracicaba, 2014. Disponível em .

VAN DAM, Denise; NIZET, Jean. Les agriculteurs bio deviennent-ils moins bio? In: VAN DAM, Denise; STASSART, Pierre; NIZET, Jean; STREITH, Michel. Agroécologie: entre pratiques et sciences sociales. Dijon (FRA): Educagri, 2012.




DOI: http://dx.doi.org/10.25059/2527-2594/retratosdeassentamentos/2016.v19i1.197

##plugins.generic.alm.title##

##plugins.generic.alm.loading##

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2016 Revista Eletrônica Retratos de Assentamentos

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

Revista Retratos de Assentamentos e-ISSN: 2527-2594 

Rua Carlos Gomes, 1338, Centro / Araraquara-SP / Brasil / CEP 14801-340

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.