A Permanência dos Jovens nos Assentamentos de Reforma Agrária: Um Rosário de Equívocos

Dulce Consuelo Andreatta Whitaker, Marinaldo Fernando de Souza

Resumo


O tema das idades da vida é rodeado de equívocos elaborados pelo senso comum, como já o demonstrou entre outros Philippe Ariès (1981). Conceitos como infância, juventude velhice, não são absolutos, já que variam os seus limites historicamente, dependem de avaliações que se modificam nos espaços e culturas e são atravessados por questões relativas a diferentes classes sociais. A adolescência por exemplo, período tão agudamente sentido pelas camadas modernizadas da sociedade do tipo ocidental, não é fenômeno universal, conforme demonstrado há mais de meio século por Karl Mannheim (1978). Mas nem se precisa ir tão longe em termos de Teoria Sociológica. Basta ler a obra magistral de Gilberto Freyre – Casa-Grande e Senzala, para encontrar lá os meninos da classe dominante, passando diretamente da infância para a Idade Adulta com menos de 14 anos, e as meninas se casando e substituindo rapidamente as bonecas pelos bebês, em maturidade biológica e social, prematuras para os padrões de hoje (Freyre, 1933). No Brasil modernizado, tal como no primeiro mundo, a adolescência se prolonga, por necessidades sociais ligadas à sociedade do tipo industrial, hoje conhecida como sociedade do conhecimento, que nada mais é do que o capitalismo em fase de avançado desenvolvimento tecnológico e acelerada acumulação.


Texto completo:

PDF

Referências


ARIÉS, P. História Social da Criança e da Família. Rio de Janeiro: Zahar, 1981.

BASTOS, V.A. Educação do Campo e Formação Continuada de Professores(as): as contribuições do projeto político-pedagógico. 2005. 185p. Dissertação (Mestrado em Psicologia) – Programa de Pós-Graduação em Psicologia, Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da Ribeirão Preto / USP, 2005.

BOURDIEU, P., PASSERON, J.-C. A Reprodução. Rio de Janeiro: Livraria Francisco Alves, 1975.

CASTRO, E.G. Entre Ficar e Sair: uma etnografia da construção social da categoria jovem rural. Tese (Doutorado em Antropologia Social) – Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2005.

FIAMENGUE, E.C. Entre o Espaço Vivido e o Espaço Sonhado: Imagens da Infância num Assentamento de Trabalhadores Rurais. Dissertação (Mestrado em Sociologia) – Faculdade de Ciências e Letras. Araraquara: Universidade Estadual Paulista, 1997. (mimeo)

MACHADO, V. Estudantes em Assentamentos de Terras: Um Estudo de Aspirações por Educação. Dissertação (Mestrado em Sociologia) – Faculdade de Ciências e Letras. Araraquara: Universidade Estadual Paulista, 2000. (mimeo)

MOSCOVICI, S. Representações Sociais: Investigações em psicologia social. Petrópolis: Vozes, 2003.

MANNHEIM, K. Funções das Gerações Novas. In: PEREIRA, L., FORACCHI. M.A. Educação e Sociedade - Leituras de sociologia da educação.. São Paulo: Biblioteca Universitária, 1978.

MARTINS, J.S. Sobre o Modo Capitalista de Pensar. São Paulo: Hucitec, 1976.

VEIGA, J.E. Cidades Imaginárias. O Brasil é menos urbano do que se calcula. São Paulo: Editora Autores Associados, 2003.

WANDERLEY, M.N.B. Vida no Campo e Projetos para o Futuro. Recife: Projeto de pesquisa apresentado ao CNPq, 2003.

WHITAKER, D.C.A. Sociologia Rural: questões metodológicas emergentes. Presidente Venceslau: Letras à Margem/CNPq, 2002.

WHITAKER, D.C.A. Trabalho Infantil e Capitalismo: os paradoxos da Modernidade. Revista de Educação. UESC – Ilhéus BA, 2007. (no prelo)

WHITAKER, D.C.A., ANTUNIASSI, M.H.R. A Escola Pública Localizada Na Zona Rural: Contribuições Para A Sua Restruturação. In: ANTUNIASSI, M.H.R., DEMARTINE, Z.B.F., GUSMÃO, N.M., VON SIMSON, O.R.M. (Orgs.). Educação e multiculturalismo: favelados e meninos de rua. CAMPINAS: Ed. Papirus, Cadernos Cedes, 1994.

WHITAKER, D.C.A., FIAMENGUE, E.C. Assentamentos de Reforma Agrária: Novos atores e novos espaços sociais no campo. In: WHITAKER, D.C.A., FIAMENGUE, E.C (Orgs.) Retratos de Assentamentos. Araraquara: Programa de Pós-graduação em Sociologia FCL/UNESP. Ano II, nº. 2, 1995.

WHITAKER, D.C.A., FIAMENGUE, E.C. Crianças em Assentamentos de Reforma Agrária: Um Estudo das Possibilidades de Um Novo Modo de Vida. In: BOTTA FERRANTE, V.L.S. (org.). Retratos de Assentamentos. Araraquara: Programa de Pós-graduação em Sociologia FCL/UNESP/NUPEDOR/CNPq. Ano VI, nº. 8, 2000. p. 69-81

WHITAKER D.C.A., ONOFRE, S.A. Orientação para o vestibular: Ensaio sobre uma experiência realizada com jovens rurais. In: MELO-SILVA, L.L. et alli Arquitetura de uma ocupação. São Paulo: Vetor, 2003. p. 291-312

WHITAKER D.C.A, ONOFRE, S.A., PAIVA, F.N. Cursinhos comunitários, esperança e desalento: um estudo de casos em Assentamentos de Reforma Agrária. Araraquara: Comunicação Apresentada no 34º Encontro Anual do Centro de Estudos Rurais e Urbanos – USP, 2006.




DOI: http://dx.doi.org/10.25059/2527-2594/retratosdeassentamentos/2006.v9i1.33

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2015 Revista Eletrônica Retratos de Assentamentos



Revista Retratos de Assentamentos e-ISSN: 2527-2594 

Rua Carlos Gomes, 1338, Centro / Araraquara-SP / Brasil / CEP 14801-340

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.