Saneamento rural e percepção ambiental em um assentamento rural – São Paulo – Brasil

Danitielle Cineli Simonato, Rodolfo Antônio de Figueiredo, Carolina Buso Dornfeld, Vanilde Ferreira de Souza Esquerdo, Sonia Maria Pessoa Pereira Bergamasco

Resumo


O saneamento no meio rural se tornou um desafio nos últimos anos no que se diz respeito à promoção da saúde e a qualidade de vida. O objetivo do presente trabalho foi investigar a o saneamento ambiental e a percepção ambiental de Assentados Rurais no Assentamento Estrela da Ilha no município de Ilha Solteira – SP. A metodologia utilizada foi o questionário semiestruturado e o Diário de Campo. As questões versaram sobre o gerenciamento dos resíduos sólidos, esgotamento sanitário, abastecimento de água, e presença de insetos e vetores. O Diário de Campo foi utilizado para registrar a percepção e sensibilização ambiental dos assentados (as) sobre a temática. Os resultados revelaram que não há gerenciamento de resíduos sólidos, nem coleta seletiva no Assentamento, em relação ao abastecimento de água, 94% dos assentados possuem poço tipo “caipira” ou semi-artesiano. Em relação à percepção ambiental os (as) assentados (as) se preocupam com a qualidade da água que consomem, além do esgotamento sanitário, já que muitos entrevistados possuíam poços próximos às fossas. Enfim, sabe-se que um serviço de saneamento em áreas rurais, é de suma importância para proteger e promover a saúde da população e a preservação do meio ambiente.


Palavras-chave


Qualidade de Vida; Reforma Agrária; Saneamento Básico; Saúde Pública.

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL, Política Nacional de Resíduos Sólidos. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2010/lei/l12305.htm Acesso em: 28 set. 2011.

BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria nº 2.914, de 12 de Dezembro de 2011. Dispõe sobre os procedimentos de controle e de vigilância da qualidade da água para consumo humano e seu padrão de potabilidade. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2011/prt2914_12_12_2011.html Acesso em: 10 abr. 2018.

BRASIL. Lei nº 11.445, de 5 de Janeiro de 2007. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2007/lei/l11445.htm Acesso em: 23 mar. 2013.

BRASIL. IBGE Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. IBGE. Censo 2010: População do Brasil é de 190.732.694 pessoas. Disponível em: http://saladeimprensa.ibge.gov.br/noticias?view=noticia&id=1&busca=1&idnoticia=1766 Acesso em: 20 abr. 2013.

BRASIL, Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental. Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento: diagnóstico dos serviços de água e esgotos –2014. Brasília, DF: Ministério das Cidades, 2016. Disponível em: http://www.snis.gov.br Acesso em: 20 mar. 2017.

BRASIL. Decreto-lei lei nº 9.795/99, de 27 de abril de 1999. Aprova a consolidação da lei de Política Nacional de Educação Ambiental. Disponível em: http://www.mma.gov.br/port/conama/legiabre.cfm?codlegi=321 . Acesso em: 01 mar. 2018.

BRASIL. IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. IBGE. Lixo é queimado em 58% dos domicílios rurais. Sala de Imprensa. Disponível em: http://saladeimprensa.ibge.gov.br/noticias?view=noticia&id=1&busca=1&idnoticia=2017 . Acesso em: 12 mar. 2013.

CARVALHO, A. R. de; OLIVEIRA, M. V. C. Princípios básicos do saneamento do meio. 9. ed. São Paulo: SENAC, 2007.

CETESB. Qualidade das águas subterrâneas do Estado de São Paulo 2010-2012. São Paulo: Série Relatórios ISSN/0103-4103, 242 p, 2013. Disponível em: http://cetesb.sp.gov.br/aguas-subterraneas/publicacoes-e-relatorios/ . Acesso em: 11 set. 2016.

COIMBRA, A. S. O tratamento da educação ambiental nas conferências ambientais e a questão da transversalidade. Rev. eletrônica Mestr. Educ. Ambient., v.16, p. 131-142, 2006. Disponível em: https://periodicos.furg.br/remea/article/view/2789 . Acesso em: 20 ago. 2015.

DAROLT, M.R. Lixo Rural: Entraves, Estratégias e Oportunidades. Ponta Grossa: 2002. IAPAR-Instituto Agronômico do Paraná. Disponível em: http://www.planetaorganico.com.br/trabdarlixo.htm>. Acesso em: 21 set. 2017.

FIALHO, J. M. Avaliação microbiológica da água consumida numa área rural de Ilha Solteira, Estado de São Paulo. 2016. 93 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Programa de Pós-graduação em Agronomia, Defers, UNESP, Ilha Solteira, 2016. Cap. 1.

FIALHO, J. M. ; LEITE, M. A. ; PIÃO, A. C. S. ; DORNFELD, C. B. ; ALVES PRADO, H. F. . Avaliação microbiológica da água consumida por uma população rural de Ilha Solteira - São Paulo. Revista Brasileira de Engenharia de Biossistemas (UNICAMP), v. 11, p. 273-286, 2017. Disponível em: http://seer.tupa.unesp.br/index.php/BIOENG/article/view/550 . Acesso em: 10 de mar. 2018.

FUNASA. Fundação Nacional de Saúde. Resíduos Sólidos e a Saúde da Comunidade. 1. ed. Rev. Brasília: Fundação Nacional de Saúde, 44p. 2009. Disponível em: http://pesquisa.bvsalud.org/bvsms/resource/pt/mis-38902 . Acesso em 30 de mai. 2018.

FUNASA - Fundação Nacional de Saúde. Funasa (Org.). Saneamento Rural. Ministério da Saúde. Disponível em: http://www.funasa.gov.br/site/engenharia-de-saude-publica-2/saneamento-rural/ . Acesso em: 03 dez. 2012

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa em educação ambiental. In: PHILIPPI JUNIOR, A.; PELICIONI, M. C. F. (Org.). Educação ambiental e sustentabilidade. Barueri: Manole, 2005. p. 577-598.

HERNANDEZ, F.B.T.; SOUZA, S.A.V.; ZOCOLER, J.L.; FRIZZONE, J.A. Simulação e efeito de veranicos em culturas desenvolvidas na região de Palmeira d’Oeste, Estado de São Paulo. Engenharia Agrícola, v. 23, n. 1, p. 21-30, 2003.

IBGE, Síntese de Indicadores Sociais: uma análise das condições de vida da população brasileira: 2016, Rio de Janeiro : IBGE, 2016, 146p. Disponível em: https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv98965.pdf Acesso em: 20 mar. 2018.

INSTITUTO NACIONAL DE COLONIZAÇÃO E REFORMA AGRÁRIA. INCRA (Org.). Pesquisa Sobre a Qualidade de Vida, Produção e Renda dos Assentamentos da Reforma Agrária. Brasília Disponível em: http://www.incra.gov.br/index.php/reforma-agraria-2/questao-agraria/numeros-da-reforma-agraria/file/1152-pesquisa-qualidade-de-vida-nos-assentamentos-2010 . Acesso em 08 nov. 2012.

INSTITUTO TRATA BRASIL (São Paulo). Instituto Trata Brasil. Saneamento no Brasil - backup. 2018. Disponível em: http://www.tratabrasil.org.br/saneamento-no-brasil-bakup . Acesso em: 20 fev. 2018.

LOPES, L. G.; PALLA, V. L. Instrução Prática Saneamento Rural: O Esgoto e a Água Potável na Propriedade. 272. ed. CATI São Paulo: CATI, 2004. 20 p.

MINAYO, M. C. de S (Org.). Pesquisa Social: teoria, método e criatividade.18. ed. Petrópolis: Vozes, 2001.

MOREIRA, J. P. Lixo e cidadania no meio rural, uma experiência socioambiental: um estudo de caso do assentamento Estrela da Ilha. 2010. 29 f. Monografia (Monografia de Conclusão de Curso) - Curso de Ciências Biológicas, Departamento de Biologia e Zootecnia, UNESP, Ilha Solteira, 2010.

OTTOSON, J.; STENSTROM, T.A. Faecal contamination of greywater and associated microbial risks. Water research, v. 37, p.645-655. 2003. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/12688699. Acesso em: 27 de abr. 2018.

PALHARES, J. C. P.; MATTEI, R. M. Destino dos lixos gerados e propensão à coleta seletiva em duas comunidades rurais de Concordia-SC. Concórdia, 01 jan. 2010. p. 1-6. Disponível em: http://www.bvsde.paho.org/bvsaidis/uruguay30/BR05387_Palhares.pdf . Acesso em: 12 mar. 2013.

PALMA, I. R. Análise da Percepção Ambiental como Instrumento ao Planejamento da Educação Ambiental. 2005. 78 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Programa de Pós-graduação em Engenharia de Minas, Metalúrgica e de Materiais, UFRGS, Porto Alegre, 2005. Cap. 1.

PRADO, E. L. do. Qualidade da água utilizada por uma população de zona rural de Fortaleza de Minas – MG: um risco à saúde pública. 2010. 196 f. Tese (Doutorado) - Curso de Programa de Pós Graduação em Enfermagem, Departamento de Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2010. Cap. 1

RODRIGUES, C. F. M.; RODRIGUES, V. S.; NERES, J. C. I.; GUIMARÃES, A. P. M.; NERES, L. L. F. G.; CARVALHO, A. V.. Desafios da saúde pública no Brasil: relação entre zoonoses e saneamento. Scire Salutis, v.7, n.1, p.27-37, 2017. DOI: http://doi.org/10.6008/SPC2236-9600.2017.001.0003 Disponível em: http://sustenere.co/journals/index.php/sciresalutis/issue/view/93.Acesso em: 10 abr. 2018.

SILVA, I.F. MIELNICZUK, J. Avaliação do estado de agregação do solo afetado pelo uso agrícola. Revista Brasileira de Ciência do Solo, 21:313-319, 1997.

World Health Organization (WHO) and The United Nations Children’s Fund (UNICEF). (Ed.). Progress on drinking water, sanitation and hygiene: 2017 update and SDG baselines. Switzerland: JMP, 2017. 110 p. Anna Grojec. Disponível em: https://www.unicef.org/publications/index_96611.html . Acesso em: 20 fev. 2018.




DOI: http://dx.doi.org/10.25059/2527-2594/retratosdeassentamentos/2019.v22i2.336

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2019 Danitielle Cineli Simonato, Rodolfo Antônio de Figueiredo, Carolina Buso Dornfeld, Vanilde Ferreira de Souza Esquerdo, Sonia Maria Pessoa Pereira Bergamasco

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

Revista Retratos de Assentamentos e-ISSN: 2527-2594 

Rua Carlos Gomes, 1338, Centro / Araraquara-SP / Brasil / CEP 14801-340

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.