Transição agroecológica e estilos de agricultura: o caso do Pré-Assentamento Resistência Camponesa

Autores

  • Patricia Balbinotti
  • Vanderlei Franck Thies Universidade Federal do Rio Grande do Sul

DOI:

https://doi.org/10.25059/2527-2594/retratosdeassentamentos/2019.v22i2.354

Palavras-chave:

assentamentos rurais, reforma agrária, sustentabilidade

Resumo

Este trabalho analisa a experiência de transição agroecológica no Pré-Assentamento Resistência Camponesa (PARC), no município de Cascavel - Paraná. As famílias do PARC convencionaram que a produção agropecuária se daria em duas áreas distintas, podendo ter estilos de agricultura diferentes, mas em uma delas a produção deveria, necessariamente, ser agroecológica. A pesquisa foi realizada através de estudo de caso e os dados obtidos com observação participante e entrevistas. Observou-se que todas as famílias estão envolvidas no processo de transição agroecológica, todavia, nas diferentes áreas, os estilos de agricultura se desenvolvem com base tanto no modelo da agroecologia, como do agronegócio. Também foi observado que as famílias melhoraram sua condição alimentar, desenvolvem experimentação e adotam diferentes práticas agroecológicas. Além disso, ocorre intensa troca de saberes, o que permite o avanço da agroecologia, em que pese as limitações observadas, especialmente a insuficiente recomposição da fertilidade dos solos e a inexpressiva irradiação da agroecologia para o conjunto do PARC.

Biografia do Autor

Patricia Balbinotti

Agrônoma. Universidade Federal da Fronteira Sul, Campus Erechim-Pontão

Vanderlei Franck Thies, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Engenheiro Agrônomo, Mestre e Doutorando em Desenvolvimento Rural

Referências

ALTIERI, Miguel. Agroecologia, agricultura camponesa e soberania alimentar. Revista NERA, n. 16, p. 22-32, Jan./Jun. 2010.

______. Agroecologia: bases científicas para uma agricultura sustentável. 3. ed. São Paulo, Rio de Janeiro: Expressão Popular, AS-PTA, 2012. 400 p.

BARCELLOS, Sérgio Botton. A formação do discurso da agroecologia no MST. 2010. 139 p. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais) - Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento, Agricultura e Sociedade, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Seropédica, 2010.

CAPORAL, Francisco Roberto. Em defesa de um Plano Nacional de Transição Agroecológica: compromisso com as atuais e nosso legado para as futuras gerações. 2009. Manuscrito.

CONTERATO, Marcelo Antônio; NIEDERLE, Paulo André; RADOMSKY, Guilherme; SCHNEIDER, Sergio. Mercantilização e mercados: a construção da diversidade da agricultura na ruralidade contemporânea. In: SCHNEIDER, S.; GAZOLLA, M. (Org.). Os atores do desenvolvimento rural: perspectivas teóricas e práticas. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2011. p. 67-89.

COSTABEBER, José Antônio. Transição agroecológica: do produtivismo à ecologização. In: CAPORAL, R, F. COSTABEBER, J, A. Agroecologia e a Extensão Rural: contribuições para a promoção do desenvolvimento rural sustentável. Porto Alegre: 2004. p. 17-48.

CARMO, Maristela Simões do; COMITRE, Valéria; BORSATTO, Ricardo; MOREIRA, Rodrigo; STAMATO, Beatriz. O diálogo necessário entre extensão rural e agroecologia. Revista Retratos de Assentamentos, v.18, n.1, p. 269-289, Jan./Jun. 2015.

DELGADO, Guilherme Costa. Do capital financeiro a economia do agronegócio. Porto Alegre: Editora UFRGS, 2012. 142 p.

FOOD AND AGRICULTURE ORGANIZATION OF THE UNITED NATIONS - FAO. The State of Food Security and Nutrition in the World 2017. Building resilience for peace and food security. Roma: FAO, 2017. p.117.

FRANÇA, Francisco Cavalcante; OLIVEIRA, João Bosco de. Quebra-ventos na propriedade agrícola. Fortaleza: Secretaria de Recursos Hídricos, 2010. 21 p.

GAZOLLA, Marcio; SCHNEIDER, Sergio. Cadeias curtas e redes agroalimentares alternativas. In.: GAZOLLA, M.; SCHNEIDER, S. (Orgs.). Cadeias curtas e redes agroalimentares alternativas: negócios e mercados da agricultura familiar. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2017. p. 9-24.

GLIESSMAN, Stephen R. Agroecologia: processos ecológicos em agricultura sustentável. Porto Alegre: Editora da Universidade – UFRGS, 2000. 653 p.

GONÇALVES, Sérgio. Campesinato, resistência e emancipação: o modelo agroecológico adotado pelo MST no estado do Paraná. 2008. 308 p. Tese (Doutorado em Geografia) - Programa de Pós-Graduação em Geografia, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Presidente Prudente, 2008.

______. O modelo agroecológico adotado pelo MST no estado do Paraná. In: ENCONTRO NACIONAL DE GEOGRAFIA AGRÁRIA, XXI. 2012, Uberlândia. Anais... Uberlândia: UFU, 2012. p. 1-21.

GUHUR, Dominique Michèle Perioto. Contribuições do diálogo de saberes à educação profissional em agroecologia no MST: desafios da educação do campo na construção do projeto popular. 2010. 267 p. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Estadual de Maringá, Maringá, 2010.

LEAL, Alex Carneiro. Quebra-ventos arbóreos: aspectos fundamentais de uma técnica altamente promissora. Curitiba: IAPAR, 1986. 28 p.

LEFF, Enrique. Agroecologia e saber ambiental. Revista Agroecologia e Desenvolvimento Rural e Sustentável, v.3, n.1, p. 36-51, jan./mar. 2002.

LEITE, Sérgio Pereira; MEDEIROS, Leonilde Servolo. Agronegócio. In: CALDART, R. S. et. al. (Orgs.). Dicionário da Educação do Campo. Rio de Janeiro/São Paulo: Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio, Expressão Popular, 2012. p. 81-87.

LONG, Norman. Sociología del desarrollo: una perspectiva centrada en el actor. México: Ciesas, 2007. 499 p.

LONG, Norman; PLOEG, Jan Douwe Van Der. Heterogeneity, actor and structure: towards a reconstitution of the concept of structure. In: BOOTH, D. (Org.). Rethinking social development: theory, research and practice. Harlow: Longman, p. 62-90, 1994.

LOPES, Paulo Rogério; ARAÚJO, Keila Cássia Santos; SILVA, Roberta Cristina; SILVA, Jonas Pereira; BERGAMASCO, Sonia Maria Pessoa Pereira. Agroecologia e processos de transição no Assentamento Rural Santa Helena. Revista Retratos de Assentamentos, v.20, n.2, p. 125-148, jul./dez. 2017.

MARTINS, Adalberto Floriano Greco. A produção ecológica de arroz nos assentamentos da Região Metropolitana de Porto Alegre: territórios de resistência ativa e emancipação. 2017. p. 296. Tese (Doutorado em Geografia) – Programa de Pós-Graduação em Geografia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2017.

__________. A agroecologia na estratégia do MST como parte da contraposição ao agronegócio. In: SEMINÁRIO DA REGIÃO SUL SOBRE A AGROECOLOGIA, X, 2013, São Miguel do Iguaçu. Manuscrito.

MINAYO, Maria Cecília de Souza. Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 31. Ed. Petrópolis: Vozes, 2012. 108 p.

MOVIMENTO DOS TRABALHADORES RURAIS SEM TERRA - MST. Programa de Formação para a Cooperação e Organização dos Assentamentos. Cartilha de Apoio, I. São Paulo, MST, 2008.

NIEDERLE, Paulo André; ESCHER, Fabiano; CONTERATO, Marcelo Antônio. Estilos de agricultura: capturando a diversidade do rural contemporâneo. In: CONTERATO, M. et al. (Org.). Pesquisa em desenvolvimento rural: aportes teóricos e proposições metodológicas. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2014. p. 205-225.

PLOEG, Jan Douwe Van Der. Styles of farming: an introductory note on concepts and methodology. In: PLOEG, J. D. van der; LONG, A. Born from within. Assen: Van Gorcum, 1994. p. 7-30.

____________. Camponeses e impérios alimentares: lutas por autonomia e sustentabilidade na era da globalização. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2008. 372 p.

ROOS, Djoni. Contradições na construção dos territórios camponeses no Centro-Sul paranaense: territorialidades do agronegócio, subordinação e resistências. 2015. 392 p. Tese (Doutorado em Geografia) – Programa de Pós-Graduação em Geografia, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Presidente Prudente, 2015.

SAUER, Sérgio. Agricultura familiar versus agronegócio: a dinâmica sociopolítica do campo brasileiro. Brasília: Embrapa Informação Tecnológica, 2008. p. 73.

SCHNEIDER, Sergio.; ESCHER, Fabiano. El concepto de agricultura familiar en América Latina. In: CRAVIOTTI, C. (Org.). Agricultura familiar en Latinoamérica: continuidad, transformaciones y controversias. Buenos Aires: CICCUS, 2014. p. 25-56.

SCHOFFEL, Edgar Ricardo. Importância agroecológica dos ventos: quebra-ventos. Pelotas: UFPel, 2009. 19 p.

WANDERLEY, Maria de Nazareth Baudel. Agricultura familiar e campesinato: rupturas e continuidade. Estudos Sociedade e Agricultura, n. 21, p. 42-61, out. 2003.

WIGG, David; VIEIRA, Fernanda Maria; QUINTANS, Mariana Trotta; SOUZA, Natália Almeida; SILVA, Nivia Regina; LUSTOSA, Raoni Amaral. Semeando novos tempos? Reforma agrária e agroecologia um diálogo possível e necessário - análise a partir do estudo de caso do PDS Osvaldo de Oliveira no Rio de Janeiro. Revista Retratos de Assentamentos, v.19, n.1, p. 117-147, jan./jun. 2016.

YIN, Robert K. Estudo de caso: planejamento e métodos. 2. ed. Porto Alegre: Bookman, 2001. 205 p.

Publicado

2019-08-01

Edição

Seção

Artigos Originais