Fontes educativas da agroecologia no Assentamento Margarida Alves: a transição do movimento na Amazônia

Autores

  • José Leonidas Couman Laboratório de Meio Ambiente, Ciência e Educação (LAMACE), Universidade Federal do Triângulo Mineiro.
  • Diógenes Valdanha Neto Universidade Federal do Triângulo Mineiro

DOI:

https://doi.org/10.25059/2527-2594/retratosdeassentamentos/2019.v22i2.383

Palavras-chave:

Educação do Campo, Agroecologia, Reforma Agrária, Meio Ambiente, Amazônia.

Resumo

A ocupação da Amazônia segue subjugada ao avanço desenfreado do grande capital, que se revela socio e ambientalmente insustentável. Frente a isso, o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) tem lutado para a construção de novos sujeitos e dinâmicas no mundo rural que tenham a agroecologia como orientadora de suas práticas. Este estudo teve o objetivo de compreender quais foram as principais fontes educativas que inspiraram a produção agroecológica inicial do Assentamento Margarida Alves, localizado no município de Nova União – Rondônia, e também descrever elementos do processo da mudança do modelo de produção convencional para o agroecológico do assentamento, e apresentar avanços e limites conjunturais em seu processo de transição na produção agroecológica. A metodologia foi qualitativa, pautada na realização de entrevistas com 10 moradores do assentamento, e observação direta com registro em diário de campo. Os dados revelam que o MST foi o principal ator a introduzir as ideias da agroecologia no contexto local, e que essa perspectiva representa dialeticamente algo antigo e novo para os assentados, que reconhecem seu potencial de transformação de sua realidade e apontam caminhos para seu fortalecimento.

Biografia do Autor

José Leonidas Couman, Laboratório de Meio Ambiente, Ciência e Educação (LAMACE), Universidade Federal do Triângulo Mineiro.

Assentado da Reforma Agrária e militante do MST. Licenciado em Educação do Campo (UFTM). Membro do Laboratório de Meio Ambiente, Ciência e Educação (LAMACE-UFTM).

Diógenes Valdanha Neto, Universidade Federal do Triângulo Mineiro

Biólogo, mestre em Educação Escolar e doutor em Educação. Professor da  Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM), onde coordena o Laboratório de Meio Ambiente, Ciência e Educação (LAMACE).

Referências

ALTIERI, Miguel A. Agroecologia, agricultura camponesa e soberania alimentar. Revista NERA, v. 13, n. 16, 2010.

ARAÚJO, Marcel Eméric Bizerra de. A vida e a produção do assentamento Margarida Alves em Nova União, Rondônia. Dissertação (mestrado) em Geografia. Universidade Federal de Rondônia, Porto Velho Rondônia, 2015.

ARBEX JR, José. “Terra sem povo”, crime sem castigo: pouco ou nada sabemos de concreto sobre a Amazônia. In: TORRES, Maurício (Org.). Amazônia revelada: os descaminhos ao longo da BR-163. Brasília: CNPq, 2005.

CALDART, Roseli Salete. Pedagogia do movimento sem terra. 4ª edição. São Paulo: Expressão Popular, 2012.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo populacional. 2010.

LOUREIRO, Violeta Refkalefsky. A Amazônia no século XXI: novas formas de desenvolvimento. São Paulo: Editora Empório do Livro, 2009.

MACHADO, Luiz Carlos Pinheiro; MACHADO FILHO, Luiz Carlos Pinheiro. Dialética da agroecologia. 1ª edição. São Paulo: editora Expressão Popular, 2014.

OLIVEIRA, Ariovaldo Umbelino. Modo de Produção Capitalista, Agricultura e Reforma Agrária. São Paulo: Labur Edições, 2007,

RIBEIRO, Vândiner; PARAÍSO, Marlucy Alves. Currículo e MST: conflitos de saberes e estratégias na produção de sujeitos. Educação & Realidade, v. 40, n. 03, 2015.

ROCHA, André Carlos de Oliveira; NOBRE, Henderson Gonçalves. Limites e perspectivas da transição agroecológica em assentamentos rurais no nordeste paraense. Retratos de Assentamentos, v. 20, n. 01, 2017.

SOUZA, Daniele Cristina de; VALDANHA NETO; Diógenes. A educação do campo como caminho para a transformação social: notas desde o triângulo mineiro. Cadernos CIMEAC, v. 8, n. 1, 2018.

STAKE, Robert E. Pesquisa qualitativa: estudando como as coisas funcionam. Porto Alegre: Penso, 2011.

WHITAKER, Dulce Consuelo Andreatta. Análise de entrevistas em pesquisas com histórias de vida: questões metodológicas. In: WHITAKER, Dulce Consuelo Andreatta; VELÔSO, Thelma Maria Grisi. Oralidades e Subjetividade: os meandros infinitos da memória. Campina Grande: EDUEP, 2005.

WHITAKER, Dulce Consuelo Andreatta. Direitos humanos e reforma agrária. Retratos de Assentamentos, n.14, v.2, 2011.

WHITAKER, Dulce Consuelo Andreatta. Educação Rural: da razão dualista, à razão dialética. Retratos de Assentamentos, n.11, 2008.

Publicado

2019-08-01

Edição

Seção

Dossiê Temático: Questões socioambientais nos assentamentos no cenário atual