Sobre a Revista

Retratos de Assentamentos é uma revista científica eletrônica semestral, publicada pelo Programa de Pós-graduação Stricto Sensu em Desenvolvimento Territorial e Meio Ambiente (Uniara).

A revista é pioneira na discussão de temas como assentamentos rurais e reforma agrária, quando os mesmos eram vistos como temas obscuros pela maioria da comunidade acadêmica e pela sociedade em geral. A revista não tardou em colocar em discussão os aspectos multidimensionais da luta pela terra, destacando o importante papel que os assentamentos têm socialmente, como a redução da fome e da miséria, a conquista da cidadania e o aprofundamento da democracia, o abastecimento local de alimentos e a sustentabilidade agrícola.

Esse processo teve início no Programa de Pós-Graduação em Sociologia, da Faculdade de Ciências e Letras da Unesp (Universidade Estadual Paulista) – campus de Araraquara. Entre os anos de 1988 e 1989 foi fundado, nessa faculdade, o Núcleo de Pesquisa e Documentação Rural (Nupedor), que começou a editar a revista Retratos de Assentamentos. O primeiro número da revista data de 1994, no entanto, antes disso, vários projetos de pesquisa já estavam em curso e, somando-se ao primeiro número da revista, foi publicado também pelo núcleo o primeiro Censo dos Assentamentos Rurais Paulistas, em 1995.

No ano de 2004 o grupo passou a ter sua sede do Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Territorial e Meio Ambiente, da Uniara, classificado na área multidisciplinar da CAPES. Com isso, a revista passou a ser editada por esta instituição, no começo com periodicidade bi-anual (no período de 2004 a 2008). Em 2008, tornou-se anual e, a partir de 2011, passou a ser editada em fluxo contínuo. 

Adotamos as melhores práticas editoriais de periódicos científicos brasileiros e internacionais. Adicionalmente, os trabalhos submetidos via sistema são avaliados por meio da prática Double Blind Review Process, garantindo assim o sigilo de autores e avaliadores que colaboram com a revista.

A Revista Retratos  de Assentamentos utiliza a plataforma Open Journal Systems (OJS)  do Public Knowledge Project (PKP), sistema editorial que é utilizado no Brasil com o nome de Sistema Eletrônico de Editoração de Revistas (SEER), sendo este customizado pelo Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia – IBICT.

Atualmente, este periódico está indexado nas seguintes bases de dados e buscadores: CAB Abstracts and Global Health (Aprovado); Base - Bielefeld Academic Search Engine (Approved); Ebsco Host (Aprovado)  Latindex (Aprovado); Redib (Aprovado)  OpenAire; PKP INDEX; ErihPlus (em avaliação); Gale Cengage Learning; (Aprovado) Livre; Dialnet (em avaliação); Portal Periódicos CAPES/MEC (Aproved)e Directory of Open Access Journals (DOAJ em avaliação). Esses indexadores internacionais têm como objetivo promover a divulgação e visibilidade dos artigos publicados pela revista.

 

Edição Atual

v. 24 n. 1 (2021): Fevereiro-Julho
					Visualizar v. 24 n. 1 (2021): Fevereiro-Julho

 

Este número de Retratos oferece à leitura trabalhos que compuseram as sessões e foram apresentados durante o IX Simpósio sobre Reforma Agrária e Questões Rurais, que teve como tema Relações campo-cidade em discussão: superando dualidades em tempos de pandemia. A presente edição pode ser considerada também um registro de um evento realizado de forma remota em razão da pandemia e seus desafios. Após o simpósio realizamos convite aos autores dos trabalhos apresentados e que mais se destacaram durante as sessões, a partir de indicações dos coordenadores, para que fossem enviadas colaborações à revista. Os temas abrangidos pelo simpósio, de forma mais que entrelaçados, formam um verdadeiro emaranhado de relações, tanto no plano conceitual, cujas abstrações teóricas não dão conta de estabelecer diferenças entre eles de forma definitiva (dado o caráter dinâmico das mudanças sociais que os afetam), como, principalmente, no plano factual, ou seja, na vida, no cotidiano dos atores sociais.  Buscou-se ainda recolocar no centro do debate a importância da existência de famílias rurais que, em pleno século XXI, enfrentam desafios político-institucionais que remontam ao século XIX e que ameaçam conquistas no plano do reconhecimento social, dos direitos e das políticas públicas. Os debates buscaram contemplar as perspectivas de futuro a partir das possibilidades de um projeto de desenvolvimento rural que priorize os conhecimentos, as autonomias, a soberania alimentar e estilos de agricultura sustentáveis, que sirvam de base para uma abordagem sobre a qualidade de vida e o bem viver dos camponeses e, a partir deles, da sociedade como um todo. Acreditamos que estes devem ser princípios fundamentais para se pensar a sociedade de hoje.

Publicado: 2021-08-02

Edição completa

Apresentação

  • Apresentação

    Vera Lúcia Silveira Botta Ferrante, Dulce Consuelo Andreatta Whitaker, Henrique Carmona Duval
    6-10

Conferência de Abertura Solene - IX Simpósio sobre Reforma Agrária e Questões R

Artigo Original - IX Simpósio de Reforma Agrária e Questões Rurais

Ver Todas as Edições