Assentadas no circuito do Pronaf mulher: expressões da autonomia feminina?

Autores

  • Laís Túbero Izidoro Mestre em Desenvolvimento Territorial e Meio Ambiente pela Universidade de Araraquara - UNIARA.
  • Vera Lúcia Silveira Botta Ferrante Coordenadora e Docente do Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Territorial e Meio Ambiente da UNIARA.
  • Henrique Carmona Duval Docente da Universidade Federal de São Carlos – UFSCar, Campus Lagoa do Sino, Buri.
  • Daiane Roncato Cardozo Pesquisadora de Pós-Doutorado do Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Territorial e Meio Ambiente da UNIARA.
  • Helena Carvalho De Lorenzo Docente e Vice-coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Territorial e Meio Ambiente - Universidade de Araraquara-UNIARA

DOI:

https://doi.org/10.25059/2527-2594/retratosdeassentamentos/2018.v21i1.323

Palavras-chave:

, Pronaf Mulher, Relações de gênero, Políticas públicas, Assentamentos rurais, Participação social.

Resumo

O presente artigo é resultado de uma pesquisa que teve por objetivo verificar a operacionalização das políticas públicas voltadas para as mulheres, especialmente o Pronaf Mulher, buscando compreender os desafios de sua execução no assentamento Monte Alegre, Araraquara/SP. A metodologia foi composta de uma revisão bibliográfica sobre o tema, trabalho de campo a fim de se conhecer como ocorrem as relações de gênero no assentamento e a influência da política pública, aplicação de entrevistas com roteiro semiestruturado a mulheres assentadas e gestores. Procurou-se identificar os avanços e os entraves que ainda existem em relação à participação das mulheres nos espaços institucionais.  Como resultados, pode-se afirmar que o Pronaf Mulher não está sendo acessado pela maioria das trabalhadoras no assentamento pesquisado em função das assimetrias de poder existentes dentro do núcleo familiar das assentadas e no campo social do assentamento como um todo. A falta de informação e de diálogo nas relações entre assentadas e agentes técnicos foi apontada como um dos principais entraves de acesso das mulheres a esta política pública.

Downloads

Publicado

2018-09-27

Como Citar

Izidoro, L. T., Ferrante, V. L. S. B., Duval, H. C., Cardozo, D. R., & De Lorenzo, H. C. (2018). Assentadas no circuito do Pronaf mulher: expressões da autonomia feminina?. Retratos De Assentamentos, 21(1), 265-287. https://doi.org/10.25059/2527-2594/retratosdeassentamentos/2018.v21i1.323

Edição

Seção

Artigos Originais

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 3 4 5 6 7 > >>