Educação do campo: perspectiva concreta ou promessa frustrada de política pública?

Autores

  • Gislaine Cristina Pavini UNIARA
  • Maria Lucia Ribeiro Docente do Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Territorial e Meio Ambiente (Mestrado e Doutorado)
  • Dulce Consuelo Andreatta Whitaker Docente do Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Territorial e Meio Ambiente (Mestrado e Doutorado).
  • Vera Lúcia Silveira Botta Ferrante Coordenadora e Docente do Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Territorial e Meio Ambiente (Mestrado e Doutorado). https://orcid.org/0000-0002-0679-3852

DOI:

https://doi.org/10.25059/2527-2594/retratosdeassentamentos/2020.v23i1.407

Palavras-chave:

Educação do Campo, Assentamentos Rurais, Escola do Campo.

Resumo

 O presente artigo tem como objetivo resumir a famosa polêmica entre conteudismo universalizante e Educação do/no Campo, organizando o debate teórico através do qual se justifica não só a especificidade dessa nova técnica de ensino aprendizagem, refletindo sobre a importância da qualidade para a Educação do Campo no Brasil e os objetivos e a relevância das Políticas Públicas para o campo. Como metodologia, realizamos um levantamento bibliográfico, sobre os autores que estudam as Escolas do Campo (EC) como um instrumento de valorização do homem do campo no processo de ensino aprendizagem. Analisamos e discutimos também as políticas públicas implantadas para o campo como: Pronera; Escola Ativa; Projovem Campo; Programa Dinheiro Direto na Escola do Campo; Programa de Construção de Escolas no Campo e Procampo. Verificamos que embora sejam várias as políticas públicas estabelecidas para o campo nem todas as EC conseguem participar destes programas, por conta de demasiada burocracia exigida, ou por já estarem inseridas em políticas urbanas, adaptadas para o campo.

Biografia do Autor

Gislaine Cristina Pavini, UNIARA

Pedagoga, Especialista em Psicopedagogia e Gestão Escolar, Mestra e Doutora em Desenvolvimento Territorial e Meio Ambiente.

Referências

ADORNO, T. W. Educação e emancipação. Tradução Wolgang Leo Maar. 3. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1995.

ALVES, G.L. Falácias sobre a educação do campo. In: SOUZA, A.A.A; FRIAS.R.B. (Orgs.) O processo educativo na atualidade: Fundamentos teóricos. Campo Grande: Editora UNIDERP, 2005, p. 83-97.

ALVES, A. W. Questões agrárias e a educação do campo: uma análise do Assentamento Campo Verde, microrregião do Litoral Sul Paraibano. 2011. 159 f. Dissertação (Mestrado), UFPB/CCEN, 2011.

ARROYO, M. G. Políticas de formação de educadores(as) do campo. Caderno Cedes, Campinas, vol. 27, n. 72, maio/ago, p. 157-176, 2007.

BARBOSA, R. Reforma do ensino primário. Rio de Janeiro, Ministério da educação, v. 10, 1946.

BEZERRA, L. Neto. Educação do Campo ou Educação no Campo? Revista histedbr on-line, Campinas, n.38, jun. 2010, p. 150-168.

BRANCALEONI, A. P. L. ; PINTO, J. M. R. Olhares acerca da construção cotidiana de uma escola do campo. Educação em Revista, Marília, vol. 12, 2001, p. 59-74.

BRASIL. Governo Federal. Pronera. Decreto n.7.352, de 04 de Novembro de 2.010. Brasília: 2010.

MOVIMENTO TRABALHADORES SEM TERRA. O que queremos com as escolas dos assentamentos. In: MOVIMENTO TRABALHADORES SEM TERRA Caderno de Formação nº 18. São Paulo, 1999.

CALDART, R. S.A escola do campo em movimento. Currículo sem fronteiras, EUA, v.3, n.1, jan/jun 2003, p.60-81.

MOLINA e SÁ. In: Caldart. et al. (Orgs.). Dicionário da educação do campo. Rio de Janeiro: Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio, São Paulo: Expressão Popular, 2012

CAMACHO, R. S. Paradigmas em disputa na educação do campo- Presidente Prudente: 2014. 806 p. Tese (doutorado) - Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Ciências e Tecnologia, Presidente Prudente, SP. 2014.

ESCARPIT, R. A revolução do livro. Rio de Janeiro: FGV, 1976.

FENG, L. Y. Projeto Educação do Campo: estratégias e alternativas no campo pedagógico.2007. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento Regional e Meio Ambiente) – Centro Universitário de Araraquara, Araraquara, 2008.

FENG, L. Y.; FERRANTE, V. L. S. Projeto educação do campo: estratégias e alternativas no campo pedagógico. Retratos de Assentamentos, Araraquara, v. 1, n. 11, p. 195-224, 2008.

FERNANDES, I. L. A construção de políticas públicas de educação do campo através das lutas dos movimentos sociais. Revista Lugares de Educação, v. 4, n. 8, p. 125-135, 7 abr. 2014.

FERREIRA, F. J; BRANDÃO, E. C. Educação do Campo: Um Olhar Histórico, uma Realidade Concreta. Revista Eletrônica de Educação. Ano V. No. 09, jul./dez. 2011.

FLORES, A. F. Grupos Escolares Rurais na antiga Usina Tamoio (Araraquara/SP). 2016. 164 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal de São Carlos, 2016.

FLORES, A. F.; BEZERRA, M. C. S.; FERRANTE, V. L. S. B. De grupo escolar à educação do campo: o caso da Escola do Campo no assentamento Bela Vista, em Araraquara/SP. Cadernos da Pedagogia. São Carlos, Ano 6 v. 6 n. 12, p. 28-48, jan-jun, 2013.

FREITAG, B.; MOTTA, V. R.; COSTA, W. F. O estado da arte do livro didático no Brasil. Brasília: INEP, 1987.

GONÇALVES, T. G. G. L; HAYASHI, M. C. P. I. Estudo bibliométrico sobre educação do campo para jovens e adultos deficientes. Série-Estudos - Periódico do Programa de Pós-Graduação em Educação da UCDBCampo Grande, MS, n. 38, p. 129-149, jul./dez. 2014.

JANATA, N. E. “Juventude que ousa lutar!”: trabalho, educação e militância de jovens assentados do MST. 2012. 278 p. Tese (Doutorado em Educação) - Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis. 2012.

KANT, I. Textos seletos. Tradução de Floriano de Sousa Fernandes e Raimundo Vier. 3ed. Petrópolis: Ed. Vozes, 2005.

LOPES, V. L. O desenvolvimento do projeto educação do campo em um assentamento da reforma agrária no município de Araraquara-SP: Uma possibilidade de intervenção na problemática ambiental. Retratos de Assentamentos. Araraquara, v.1, n. 10, p. 83-96, 2006.

LOPES, W. de J. F. Profissionalidade Docente na Educação do Campo. 2013. 253 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal de São Carlos. São Carlos. 2013.

MOLINA, M. C. Educação do campo e pesquisa: questões para reflexão. Brasil. Ministério do Desenvolvimento Agrário. – Brasília: ministério do desenvolvimento agrário, 2006.

MOLINA, O. Quem engana quem? Professor x Livro Didático. Campinas: Papirus, 1987.

OLIVEIRA, A. L. O livro didático. 3. ed. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1986.

OLIVEIRA, J. B. A.; GUIMARÃES, S. D. P.; BOMÉNY, H. M. B. A Política do Livro Didático. São Paulo. Campinas: Ed. Unicamp, 1984.

OLIVEIRA, T; BASTOS, V. A. A Proposta de Educação do Campo das Escolas Rurais de Araraquara – SP: destaque na construção da qualidade de vida. Retrato de Assentamentos, Araraquara, v. 7, n. 1, 2004.

PAIN, R. O. Natureza, terra e trabalho na Educação do Campo no MST. O Caso do Assentamento Congonha Abelardo Luz – SC. 2011. 151 f. Dissertação (Mestrado em Geografia) - Universidade Estadual do Oeste do Paraná. Francisco Beltrão. 2011.

PAVINI, G. C. O Método Sesi de Ensino na Escola do Campo: A controversa chegada do estranho. 2012. 119 f. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento Regional e Meio Ambiente) – Centro Universitário de Araraquara, Araraquara, 2012.

PAVINI, G. C.; RIBEIRO, M. L. Efetividade de políticas públicas para a educação do campo. In I Seminário Políticas Públicas e Desenvolvimento Territorial, SEPPU, UNIARA, Araraquara/SP, 2017. Anais do I Seminário Políticas Públicas e Desenvolvimento Territorial, 2017.

PAVINI, G. C. Dilemas da Educação do Campo em vários espaços e tempos. 2019. 166 f. Tese (Doutorado em Desenvolvimento Regional e Meio Ambiente) – Centro Universitário de Araraquara, Araraquara, 2019.

PETTY, M.; TOMBIM, A.; VERA, R. Uma alternativa de educação rural. In: Werthein, J.; Bordenave, J. D. (org.). Educação rural no Terceiro Mundo. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1981. p. 31-64.

PINSKI, J. O Estado e o Livro Didático. Campinas: Ed. Unicamp, 1985.

PRETTI, D. Livro Didático e educação no contexto cultural brasileiro. São Paulo: Cortez, 1981.

SAVIANI, D. Subsídios para o equacionamento do problema do livro didático em face da Lei nº 5692. 7. ed. São Paulo: Cortez, 1986.

SILVA, J. B. Crianças assentadas e educação infantil no/do campo: contextos e significações. 2012. Dissertação (Mestrado em Psicologia) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2012.

SILVA, S. A utopia da educação do campo frente a ideologia industrial: o caso de Araraquara-SP. 2015.142f. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento Regional e Meio Ambiente) - Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Regional e Meio Ambiente, Centro Universitário de Araraquara, 2015.

SILVA, S.; BEZERRA, M. C. S.; FERRANTE, V. L. S. B. A avaliação escolar na perspectiva da educação do campo: modelos em conflito. Cadernos da Pedagogia. São Carlos, Ano 6 v. 6 n. 12, p. 91-104, jan-jun, 2013.

TEIXEIRA, R. A. História das Escolas Rurais da Região de Araraquara (1980/2010): Movimentos Sociais e Poder Público da Formação de Identidades Rurais. In Anais Eletrônicos do IX Congresso Brasileiro de História da Educação João Pessoa – Universidade Federal da Paraíba. 2016. ISSN 2236-1855.

VALENTE, A. L. E. F. A Educação no campo e a sua realidade: a esquizofrenia teórica em xeque. Retratos de Assentamentos. Araraquara, v.1, n. 11, p. 261-281, 2008.

WHITAKER, D. C. A. Educação Rural: da razão dualista, à razão dialética. Retratos de Assentamentos, Araraquara, v. 1, n. 11, p. 295-304, 2008.

Downloads

Publicado

2020-02-01

Como Citar

Pavini, G. C., Ribeiro, M. L. ., Andreatta Whitaker , D. C. ., & Botta Ferrante, V. L. S. . (2020). Educação do campo: perspectiva concreta ou promessa frustrada de política pública?. Retratos De Assentamentos, 23(1), 230-241. https://doi.org/10.25059/2527-2594/retratosdeassentamentos/2020.v23i1.407

Edição

Seção

Artigos Originais

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)