Projeto Educação do Campo: Estratégias e Alternativas no Campo Pedagógico

Lee Yun Feng, Vera Lúcia S. Botta Ferrante

Resumo


O presente estudo discute as propostas e estratégias do Programa Escola do Campo aplicado na EMEF Hermínio Pagotto, as suas práticas educativas e seus efeitos sociais. Abordando o projeto pedagógico implementado nessa instituição e as vertentes políticas que a norteiam (Parâmetros Curriculares Nacionais, Diretrizes Curriculares Nacionais, Referências Para uma Política Nacional de Educação do Campo) surgem diversas questões. As estratégias de ensino impactam positivamente a comunidade assistida? Este processo educacional ajuda a amenizar o quadro de problemas da educação rural? Este modelo difere das outras propostas educativas em quais pontos?Taisquestões são abordadas através do processo de constituição deste trabalho que acompanha a realidade escolar da educação rural na escola Hermínio Pagotto no assentamento rural Bela Vista em Araraquara, interior de São Paulo.


Palavras-chave


Escola do Campo, Educação Rural, Práticas Educativas, Inovação Pedagógica.

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, M. Escola e modernidade: saberes, instituições e práticas.

Campinas: Alínea, 2004.

ANDRADE, M.T. O movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra e sua Proposta de Educação Popular. Retratos de Assentamentos, Araraquara,Nupedor/Unesp, n.7, ano V, p. 143-174, 1999.

ANDRÉ, M.E.D.A. de. Etnografia da prática escolar. 2ª ed. Campinas:

Papirus, 1995.

BASTOS, V.A. de. A luta pela terra e na terra: a organização da produção nos assentamentos de trabalhadores rurais de Araraquara-SP. 2001.Monografia. (Bacharelado em Ciências Econômicas). Faculdade de Ciência e Letras, Universidade Estadual Paulista, Araraquara.

BASTOS, V.A. de. Educação do campo e formação continuada dos(as)

professores(as): as contribuições do projeto político-pedagógico. 2005.

Dissertação (Mestrado em Psicologia da Educação). Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras, Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.

BERGAMASCO, S.M.P.P.; AUBRÉE, M.; FERRANTE, V.L.S.B. (Orgs.).

Dinâmicas familiar, produtiva e cultural nos assentamentos rurais de

São Paulo. Campinas: FEAGRI/UNICAMP ; Araraquara : UNIARA ; São

Paulo : INCRA, 2003.

BOF, A.; MORAIS, T.C.; SILVA, L.H. A educação no meio rural do

Brasil: revisão da literatura. Brasília: INEP/SEIF-MEC, 2003.

BOURDIEU, P. A miséria do mundo. Tradução de Mateus S. Soares. 3a

edição. Petrópolis: Vozes, 1999.

BRANCALEONI, A.P. Do rural ao urbano: o processo de adaptação de

alunos moradores de um assentamento rural à escola urbana. 2002. 219p. Dissertação (Mestrado em Psicologia). Departamento de Psicologia e Educação, Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras, Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.

BRASIL. MEC. Referências para uma política nacional de educação do

campo. Caderno de Subsídios. Brasília. 2004.

BRIGANTE, J. (Org.). Avaliação Ambiental do Rio Moji-Guaçu:

Resultados de uma pesquisa com abordagem ecossistêmica. São Carlos:

Rima, 2002.

CALDART, R.S. Educação em Movimento: formação de educadores e

educadoras no MST. Petrópolis: Vozes, 1997. 180p.

CALDART, R.S. A escola do campo em movimento. Contexto e Educação,

Ijuí, v.15, p.43-75, 2000.

CALDART, R.S. Pedagogia do Movimento Sem Terra. 3. ed. Petrópolis:

Vozes, 2000.

DELAMONT, S.; HAMILTON, D. A pesquisa em sala de aula: uma crítica

e uma nova abordagem. Tradução Maria Regina Campello Gomes. In:

PATTO, M.H.S. (Org.) Introdução à psicologia escolar. São Paulo: Casa do Psicólogo, 1997, p.403-425.

_______ Escola Itinerante em acampamentos do MST, Estudos Avançados, São Paulo, v. 15, n. 42, 2001.

FERRANTE, V.L.S.B. (Org). Retratos de assentamentos, Araraquara,

Nupedor/Uniara, n.9, 2004.

FIAMENGUE, E.C.; WHITAKER, D.C.A. Crianças em assentamentos de

reforma agrária: um estudo de possibilidades de um novo modo de vida.

Retratos de Assentamentos, Araraquara, Nupedor/Unesp, n.8, p.69-81,

FREITAS, A.L.M. de. Escola do campo: a proposta de Araraquara. In: GIL, J. (Org.) Educação Municipal: experiências de políticas democráticas.Ubatuba: Palavra, 2004, p. 145-155.

GOHN, M. da G. Movimentos Sociais e Educação. 3ª ed. São Paulo:

Cortez, 1999.

KOLLING, E.J.; NERY, I.; MOLINA, M.C. (Orgs.) Por uma educação

básica do campo. Brasília: Universidade de Brasília, 1999.

KOLLING, E.J.; CERIOLI, P.R.; CALDART, R.S. (Orgs.) Educação do

Campo: Identidade e Políticas Públicas. Brasília: NEAD, 2002.

LAMARCHE, H. A agricultura familiar. Campinas: Unicamp, 1993.

LEITE, S.C. Escola Rural: urbanização e políticas educacionais. São Paulo: Cortez, 2002.

LIMA, F. de P.N.; WHITAKER, D.C.A.; BOCANEGRA, C.H. O

processo de construção da educação do homem do campo no município

de Araraquara: Avanços e possibilidades. In: Simpósio Reforma Agrária e Desenvolvimento: Desafios e Rumos da Política de Assentamentos Rurais, 2005, Uniara, Araraquara. Anais..., Araraquara, 2005.

MACHADO, V. Estudantes em assentamentos: um estudo de aspirações

por educação. 2000. 198p. Dissertação (Mestrado em Sociologia). Faculdade de Ciências e Letras, Universidade Estadual Paulista, Araraquara.

MÈREDIEU, F. de. O desenho infantil. Trad. Álvaro Lorencini e Sandra M.

Nitrini. 7ª ed. São Paulo: Eidtora Cultrix, 2000.

MINAYO, M.C.S. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em

saúde. 3.ed. São Paulo: Hucitec; Rio de Janeiro: Abrasco, 1994.

MORAES, R. L. ; KUDE, V.M.M. . A importância da parceria entre a escola

e a família no ensino fundamental. In: _______ Encontro Internacional

da Sociedade Brasileira de Educação Comparada – Construindo a

identidade Latino-Americana, Porto Alegre, 2003.

MORIN, E. Os sete saberes necessários à educação do futuro. São Paulo:

Cortez, 2000.

MST – Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra. Princípios da

Educação no MST. Cadernos de Educação, São Paulo, n.8, 1996.

MST – Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra. Escola itinerante

em acampamentos do MST. São Paulo: MST, 1998.

MST – Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra. Pedagogia do

Movimento Sem Terra: acompanhamento às escolas. Boletim da Educação, São Paulo, n.8, 2001.

PASSADOR, C.S. Um estudo do Projeto Escola do Campo. Casa Familiar

Rural (1990-2002) do Estado do Paraná: A Pedagogia de Alternância como Referencial de Permanência. 2003 Dissertação (Doutorado em Educação). Faculdade de Economia Administração e Contabilidade, Universidade de São Paulo, São Paulo.

_______ Programa de Estudos Sobre a Educação Rural/do Campo do

Brasil. INEP/SEIF-MEC, WB, 2003.

RAMOS, M.N.; MOREIRA; T.M.; SANTOS, C.A. dos. (Coords.).

Referências para uma política de educação do campo: caderno de

subsídios. Brasília: Secretaria de Educação Média e Tecnológica, Grupo

Permanente de Trabalho de Educação do Campo, 2004.

ROSIM, L.H. Bela Vista do Chibarro: nas terras da Usina, diferenças e

identidades na construção de um assentamento. 1997. Dissertação (Mestrado em Sociologia). Faculdade de Ciências e Letras, Universidade Estadual Paulista, Araraquara.

SELLTIZ, C. et al. Métodos de pesquisa nas relações sociais. Tradução de

Maria Martha Hubner de Oliveira. 2a edição. São Paulo: EPU, 1987.

SODRÉ, L.G.P. Crianças de um assentamento do MST: propostas para um projeto de Educação Infantil. Estudos de Psicologia, Natal, v.10, n.2, p.181- 190, 2005.

VEIGA, J.E. O Brasil rural ainda não encontrou seu eixo de

desenvolvimento. Estudos Avançados, São Paulo, v.15, n.43, 2001.

WHITAKER, D.C.A. O rural-urbano e a escola brasileira. Revista do

Migrante, São Paulo, ano V, n.12, 1992.




DOI: http://dx.doi.org/10.25059/2527-2594/retratosdeassentamentos/2008.v11i1.21

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2015 Revista Eletrônica Retratos de Assentamentos



Revista Retratos de Assentamentos e-ISSN: 2527-2594 

Rua Carlos Gomes, 1338, Centro / Araraquara-SP / Brasil / CEP 14801-340

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.