Avaliação Ambiental de Assentamentos Rurais: Uma Abordagem Comparativa Multivariada

Marina Gulo Alcorinte, Larissa Fernanda Cazeiro, Danielle dos Santos Araújo, Guilherme Rossi Gorni, Maria Lúcia Ribeiro

Resumo


O presente trabalho teve por objetivo avaliar variáveis ambientais de assentamentos beneficiados pelos programas de reforma agrária da Região Central do estado de São Paulo. A pesquisa foi realizada em duas modalidades de assentamentos: Projeto de Assentamento Federal – PA (Araraquara, Iaras, Colômbia e Piratininga) e Projeto de Desenvolvimento Sustentável – PDS (Ribeirão Preto, São Carlos e Descalvado), totalizando 60 famílias entrevistadas. Para verificar as características ambientais dos assentamentos, foram elaboradas as métricas: Score Ambiental por unidade produtiva (SA) e Análise Individual de Variáveis (AI), considerando cinco variáveis representativas de sustentabilidade ambiental: tipo de adubo utilizado na produção, classe de fertilizantes utilizados na produção, forma de tratamento de dejetos na unidade produtiva, existência de mata ciliar (APP) na unidade produtiva, e tipo de manejo da produção. Visando averiguar a efetividade ambiental entre as diferentes modalidades de assentamentos investigados foi utilizado o teste "t" de Student (? = 0,05) com os valores de SA de cada lote. Os assentamentos classificados como PA apresentaram SA médio de 0,34 (0,21), e os PDS SA médio de 0,53 (0,17). Essa diferença entre as médias foi corroborada com o teste "t" (p = 0,002), indicando efetividades ambientais distintas entre os dois modelos de assentamento: PDS podem ser considerados mais homogêneos, do ponto de vista ambiental, quando comparados ao modelo convencional (PA). A Análise Individual de Variáveis (AI) aponta diferenças entre as duas modalidades de assentamentos, porém, PA e PDS apresentaram deficiências nos parâmetros relacionados aos  tratamentos dos dejetos, preservação da vegetação ciliar e manejo da produção.


Palavras-chave


Indicadores ambientais; Assentamentos rurais; Efetividade ambiental.

Texto completo:

PDF

Referências


ALVES, L. B.; BASTOS, R. P. Sustentabilidade em Silvânia (GO): o caso

dos assentamentos rurais São Sebastião da Garganta e João de Deus.

Revista de Economia e Sociologia Rural, Piracicaba, v. 49, n. 2, p. 419 -

, Abr. - Jun. 2011.

BARRETO, R. C. S.; KHAN, A. S.; LIMA, P. V. P. S. Sustentabilidade dos

assentamentos no município de Caucaia-CE. Revista Estudos Regionais,

Rio de Janeiro, v. 43, n. 2, p. 225 - 247, Abr. - Jun. 2005.

BIEGER, L. et al. Are the streams of the Sinos River basin of good water

quality? Aquatic macroinvertebrates may answer the question. Brazilian

Journal of Biology, v. 70, n. 4, p. 1207 - 1215. 2010.

FERREIRA, D. M; AMADO, R. F. Levantamento e análise de indicadores

de sustentabilidade ecológica para propostas urbanísticas. Ingepro:

inovação, gestão e produção, v. 2, n. 6, p. 63 - 72, Jul. 2010.

FREIRE, M. S. V.; BRAGA, R. A. P. Indicadores de cumprimento de normas ambientais em assentamentos de reforma agrária. In: ENCONTRO DA REDE LUSO-BRASILEIRA DE ESTUDOS AMBIENTAIS, 14, 2011, Recife. Vulnerabilidade socioambiental na África, Brasil e Portugal:

dilemas e desafios à memória do professor Manuel Serrano Pinto.

GAVIOLI, F. R. Avaliação da sustentabilidade de agroecossistemas através de indicadores em um assentamento rural em São Paulo. Verde, Mossoró, v. 6, n. 5, p. 99 - 110, Dez. 2011.

GUIMARÃES, R. P.; FEICHAS, S. A. Q. Desafios na construção de

indicadores de sustentabilidade. Ambiente & Sociedade, Campinas, v. 12, n. 2, p. 307 - 323, Jul. - Dez. 2009.

LEITE JÚNIOR, C. B. et al. Indicadores social-econômico e ambiental em assentamentos de reforma agrária no cerrado goiano. Campo-território:

revista de geografia agrária, v. 8, n. 16, p. 342-378, Ago. 2013.

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO.

Secretaria de Planejamento e Investimentos Estratégicos – SPI. Indicadores de programas: guia metodológico. Brasília. 2010. 128 f.

MORAIS, M. A. V. et al. Impacto ambiental em assentamentos da reforma agrária no Mato Grosso. Floresta, Curitiba, v. 42, n. 3, p. 587 - 598, Jul. – Set. 2012.

RAMOS, T. B. Sistemas de indicadores e índices ambientais. CONGRESSO NACIONAL DOS ENGENHEIROS DO AMBIENTE, 4, 1997, Faro, p. 433-443.

RUA, M. G. A avaliação no ciclo de gestão pública. 2006.

SICHE, R. et al. Índices versus indicadores: precisões conceituais na

discussão da sustentabilidade de países. Ambiente & Sociedade, Campinas, v. 10, n. 2, p. 137 - 148, Jul. - Dez. 2007.

VEIGA, J. E. da. Indicadores socioambientais: evolução e perspectivas.

Revista de Economia Política, São Paulo, v. 29, n. 4, p. 421 - 435, Out. -

Dez. 2009.




DOI: http://dx.doi.org/10.25059/2527-2594/retratosdeassentamentos/2013.v16i2.143

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2015 Revista Eletrônica Retratos de Assentamentos



Revista Retratos de Assentamentos e-ISSN: 2527-2594 

Rua Carlos Gomes, 1338, Centro / Araraquara-SP / Brasil / CEP 14801-340

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.